quinta-feira, 10 de março de 2016

Valuing the Arts

A 7 e 8 de março a PLATEIA esteve em Paris, no encontro “Valuing the Arts”, organizado pelo IETM - International Network for Contemporary Performing Arts. O IETM é uma rede que agrega agentes das artes performativas de todo o mundo. Neste encontro, reservado exclusivamente a organizações públicas ou representativas do setor, Portugal esteve representado pela PLATEIA (Carlos Costa), pela REDE (Ana Figueira) e pela Direção-Geral das Artes (Nuno Moura).

Ao longo dos dois dias, o programa contou com algumas comunicações de especialistas no setor mas dividiu-se, sobretudo, entre várias sessões de trabalho em que os participantes se agregavam por pares, por assuntos ou livremente. Assim, foi a primeira vez que PLATEIA, REDE e DGArtes tiveram oportunidade para trabalhar de um modo tão próximo.

As discussões oscilaram em torno de três tópicos principais: Novos argumentos a favor do apoio público às artes, envolvimento de agentes do setor nos processos de decisão política e definição de novos indicadores para avaliar o impacto da criação artística. E foi relativamente a este último que a PLATEIA mais se empenhou na discussão, defendendo a necessidade de indicadores que meçam o “valor cultural” e não apenas o “valor económico”, portanto num desvio ao que tem sido a estratégia principal da advocacia do setor, que, ao longo dos últimos dez anos, tem estado tão preocupada em justificar-se pelo impacto económico, que parece ter esquecido que tem um valor não mensurável pelos indicadores económicos.


A PLATEIA propôs o desenvolvimento de um estudo científico multidisciplinar que permita apontar, fundamentar e exigir indicadores para medição do “valor cultural” da criação artística, de modo a que, em sede de definição de políticas e orçamentos públicos, o valor das artes não seja apenas o seu valor económico.

Sem comentários:

Enviar um comentário