quinta-feira, 5 de abril de 2018

amanhã estaremos todos juntos.



Tendo tomado conhecimento da “Resposta Aberta à Cultura” do Senhor Primeiro Ministro, a PLATEIA reconhece o esforço do governo para iniciar um processo de correção da devastação que atingiu o setor das artes ao longo da última década.

Mas continuamos a manter, com as demais organizações, o apelo à mobilização nacional convocada para sexta-feira, 6 de abril pelas 18h. Porque do que aqui se trata é de muito mais do que da dotação orçamental de um concurso de Apoio às Artes.

Falamos do modelo do próprio concurso, e de questões diversas como os dados estatísticos que suportam a afetação por regiões ou disciplinas; ou da segmentação dos candidatos e dos critérios de apreciação e acompanhamento.

Mas falamos também dos recursos de funcionamento da própria Direção-Geral das Artes; e de tantas outras Direções-Gerais e Institutos do setor da Cultura.

Porque falamos não só da criação artística mas do património, da arqueologia, do cinema, dos museus, das bibliotecas, dos arquivos; falamos do desenvolvimento sustentado de Portugal, do país que queremos ser.
E falamos do manifesto de um governo – manifesto em torno do qual se gerou uma ampla maioria parlamentar – que via a cultura como “um pilar fundamental da Democracia, da identidade nacional, da inovação e do desenvolvimento sustentado”, que iria “valorizar a criação artística, a vida cultural” como forma de combater a “devastação” cultural do governo anterior.

E porque estamos certos que o Senhor Primeiro Ministro não procedeu a este reforço orçamental apenas em função da pressão mediática, mas após uma profunda reflexão, parece-nos ser o momento certo para considerar uma retificação do próprio orçamento para a cultura, um dos mais baixos nos países da OCDE.

Por isso, amanhã estaremos todos juntos.

Ainda e sempre pela artes.

Pela Cultura.

Por Portugal.

Pelo nosso futuro comum.

Sem comentários:

Enviar um comentário